(62) 3626-6872
Home     Notícias
MINAÇU

Serra Verde discute projeto

Mineradora se prepara para implantar planta de extração e beneficiamento de terras raras e realiza audiência pública em que mostra potencialidades do empreendimento


Publicado em 01 Maio 2017

Pedro Gomes

|   Compartilhe esta página:    

Pedro Gomes
Comunidade lotou templo evangélico durante Audiência Pública da Mineradora Serra Verde em Minaçu
Comunidade lotou templo evangélico durante Audiência Pública da Mineradora Serra Verde em Minaçu

Aproximadamente cinco mil pessoas, segundo estimativa dos organizadores, participaram na quinta-feira (27) de uma Audiência Pública realizada em Minaçu referente ao Licenciamento Ambiental do Projeto de Extração e Beneficiamento de Terras Raras da Mineradora Serra Verde, na Região do Pela Ema. O evento aconteceu no templo principal da Igreja Evangélica Assembleia de Deus e contou com as presenças de três prefeitos: Agenor Nick Barbosa, de Minaçu; Jacira Martins Fernandes, a Cirinha da Farmácia; de Montividiu do Norte e Agostinho da Nóbrega Rodrigues, de Trombas. A primeira-dama de Minaçu, Maria Lúcia, também participou.
Durante a audiência pública, os gestores da mineradora Serra Verde falaram das potencialidades do empreendimento em relação à geração de emprego e renda para a sociedade e para os municípios e também mostraram como está o processo de estruturação da unidade.
A Serra Verde Pesquisa e Mineração Ltda é uma empresa que surgiu de um projeto iniciado pela Mining Ventures Brasil, uma companhia controlada pela Denham Capital Management LP, uma empresa internacional especializada no desenvolvimento de projetos de exploração de recursos naturais, com participação minoritária da Arsago Mining Capital (BVI) Ltda, um grupo suíço com foco em empreendimentos no Brasil.
De acordo com o presidente e CEO da mineradora, Luciano de Freitas Borges, o Projeto Serra Verde encontra-se em estágio avançado de desenvolvimento, aguardando a conclusão dos processos de licenciamento ambiental para dar seguimento às atividades necessárias para a implantação, a partir da obtenção da eventual Licença de Implantação, que corresponde a segunda fase do processo de licenciamento ambiental, e que autoriza a construção do empreendimento.
Ele disse que no depósito mineral na região do Pela Ema, localizado em Minaçu e com extensões para os municípios de Trombas e Montividiu do Norte, está provavelmente o maior depósito de terras raras em argilas iônicas do Hemisfério Ocidental e o objetivo da Mineradora Serra Verde é se tornar uma referência internacional de fornecimento de Terras Raras de alta qualidade, produzidas sobretudo com respeito ao meio ambiente, visando ao atendimento da demanda crescente por esses metais e à busca de alternativas de fornecimento fora da China, que hoje controla, de forma quase monopolística, a oferta de terras raras ao mercado global.
"A exploração os recursos naturais, minerais e energéticos, antes de ser um bom negócio para um empreendedor qualificado, é um imperativo para a sobrevivência, a segurança e o bem-estar da comunidade humana, exigindo, por isso, regras e práticas específicas que assegurem o atendimento de todas as dimensões que integram o conceito do Desenvolvimento Sustentável. O empreendedorismo e a criatividade das pessoas são as principais alavancas para enfrentar os grandes problemas econômicos contemporâneos: o aumento da produção, com a preservação da qualidade ambiental e o respeito à integridade sociocultural das comunidades. A sustentabilidade de qualquer empreendimento está intrinsecamente ligada à boa governança corporativa, prática que prioriza, igualmente, os objetivos econômicos perseguidos pelos acionistas e investidores, o cuidado com o meio ambiente e o desenvolvimento de relações sólidas de parceira e compartilhamento de benefícios com todos os agentes sociais, individuais ou coletivos, que integrem tanto a cadeia produtiva quanto o meio social" disse o presidente Luciano.
Nas parcerias com os municípios, a Serra Verde pretende investir na qualificação e treinamento de recursos humanos locais; fortalecer cadeias regionais de fornecimento, dando preferência à aquisição de produtos e serviços de origem local; participar das atividades de relevância social e dar apoio a projetos culturais, assim como manter o diálogo permanente com os agentes sociais interessados nos projetos da empresa.
Na fase de implantação, a previsão é que a Mineradora Serra Verde consiga algo em torno de mil empregos diretos e mais de três mil indiretos, o que deve ocorrer num período de 18 meses, segundo informações dos empreendedores. Já na fase de operacionalização, a Serra Verde prevê a geração de 800 postos de trabalho de forma direta e 1.600 empregos indiretamente.
O empreendimento deverá gerar aproximadamente R$ 14,4 milhões por ano em receitas fiscais CFEM - Recolhimento Corrente/Parcelas Manuais/Permissão Lavra Garimpeira; ISS - Imposto Sobre Serviços; ICMS - Imposto Sobre Circulação de Mercadoria e Prestação de Serviços; e mais receitas não fiscais, que são pagamentos de salários, compras no comércio, produtos e serviços.
O prefeito Nick Barbosa disse que o lançamento do projeto da Mineradora Serra Verde significa o abrir de novas portas de trabalho e a garantia de mais renda para Minaçu em um momento crítico economicamente que atinge todos os municípios brasileiros, porém ele esclareceu que a arrecadação do município só irá aumentar a partir do momento em que a produção de minério for efetivamente iniciada. O prefeito ressaltou que não está no cargo por um simples acaso e lembrou à comunidade o empenho do governador Marconi Perillo e do secretário Vilmar Rocha em relação ao empreendimento.
A prefeita Cirinha da Farmácia acrescentou que assim como o município de Minaçu, as cidades de Montividiu do Norte e de Trombas também serão beneficiadas com a chegada da mineradora e demonstrou otimismo em relação às mudanças econômicas que poderão ocorrer já a partir do processo de implantação do projeto e, principalmente, na fase de operacionalização da exploração das Terras Raras.
O prefeito Agostinho explicou que na cidade de Trombas a geração de emprego está praticamente polarizada nas vagas de trabalho oferecidas pela prefeitura e por uma indústria cerâmica de argila vermelha. Ele disse que devido às dificuldades enfrentadas pelos profissionais para inserção no mercado de trabalho, as portas abertas pela mineradora serão fundamentais para alavancar a economia do município.
No fim da audiência, a comunidade fez questionamentos e tirou dúvidas com os gestores sobre vários temas, como a implantação de projetos ambientais, processo de contratações de funcionários e o pagamento de indenizações aos proprietários rurais.
As pesquisas identificaram na Região do Pela Ema os seguintes minerais: Biotita Microclina Granito (BAG); MuscovitaAlbita Granito (MBALG); Biotitito (BIO); Saprolito de Biotita Microclina Granito (SBAG); Saprolito de MuscovitaAlbita Granito (MBALG); e Saprolito de Biotitito (BIO).
Também participaram da Audiência Pública: o presidentes da Câmara Municipal de Minaçu, vereador Admilson Seabra Campos; e de Montividiu do Norte, Divino Ribeiro de Moraes; o superintendente de Mineração da Secretaria de Desenvolvimento, Tasso Mendonça Júnior; Emmanuel Bandeira, da Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos; Vaidijon Estrela, do Departamento Nacional de Produção Mineral; e o engenheiro Nelson Siqueira Jr., da empresa DBO Engenharia.

Galeria de Imagens

 

 Rua T-30, 1.310, esquina com rua T-49, Setor Bueno, Goiânia - Goiás


© 2018 - Jornal Diário do Norte
Produção