(62) 3626-6872
Home     Notícias

Saneago segue em Azinópolis

Estatal fica na gestão do fornecimento de água no distrito após reunião de moradores com o prefeito Pedro


Publicado em 14 Janeiro 2018

Pedro Gomes

|   Compartilhe esta página:    

Pedro Gomes
Prefeito Pedro Fernandes fala com moradores de Azinópolis e fala sobre gestão do fornecimento de água
Prefeito Pedro Fernandes fala com moradores de Azinópolis e fala sobre gestão do fornecimento de água

O fornecimento de água no Distrito de Azinópolis, que fica a cerca de 35 quilômetros da cidade de Porangatu, deverá continuar sob a administração da Saneago. Pelo menos esta foi a decisão a que chegaram as autoridades do município e moradores daquela comunidade na primeira audiência pública realizada no sábado (6) para discutir o assunto.
A reunião aconteceu na quadra de esporte da Escola Municipal Brandina Tavares e contou com a presença de diversas autoridades, entre elas o prefeito Pedro Fernandes e o presidente da Câmara Municipal, Waltham Roberto Glória, acompanhado dos vereadores Adriano Valadares, Edmilson Andrade, Tunico da Ambulância, Clodoaldo Santinelo e Cleoci do Salão. O gerente regional da Saneago Paulo Fernandes e o gerente municipal Francisco Patriota também participaram.
A discussão foi provocada pelos moradores que reclamam das altas taxas cobradas pela Saneago e havia uma proposta da própria comunidade dos serviços serem administrados pela associação de bairro. A água fornecida ao distrito de Azinópolis é extraída de um poço artesiano. Lá existem cerca de 70 casas e aproximadamente 200 pessoas residem no povoado, de acordo com informações da associação. 
Segundo a representante da comunidade, Maria Aparecida Costa Silva, as taxas cobradas atualmente pela empresa que administra o sistema são muito caras e não estão compatíveis com a renda das famílias. "Até porque aqui não gera emprego. O pessoal tem uma carência muito grande e eu fiz um levantamento neste mês e têm casas onde moram apenas três pessoas e as contas chegam a R$ 150, outras com mais gente chegam até R$ 200", disse a representante.
Segundo o prefeito Pedro Fernandes, pode não ser viável a ideia da associação de moradores assumir a gerência do fornecimento de água daquele distrito, uma vez que o processo exige investimentos e normas extremamente técnicas, pois a qualidade da água potável reflete diretamente na qualidade de vida da população.
"A minha preocupação maior é a capacidade de pagamento do morador e também com a saúde, uma vez eles assumindo isso aqui, se vão ter condições estruturais para manter o tratamento da água de Azinópolis. Nós expomos esses questionamentos aqui para a comunidade e ela prometeu analisar, porém já sugerimos ao gerente da Saneago que a empresa faça uma avaliação das unidades para saber se não existem vazamentos nas residências e a prefeitura mandará um profissional para consertar os defeitos que forem detectados", prometeu Pedro Fernandes.
Uma nova reunião deverá ser marcada para solução definitiva do assunto. Durante a audiência pública os moradores aproveitaram o debate para reivindicar a reforma da Escola Municipal Brandina Tavares, melhorias emergenciais em algumas residências, principalmente nas que são feitas de adobe e também a regularização fundiária dos imóveis urbanos do distrito.
Sobre a reforma da escola, o prefeito Pedro Fernandes disse que pediu um levantamento das condições da estrutura do espaço ao departamento de engenharia da prefeitura e disse que nas últimas administrações a unidade foi apenas pintada, ressaltou que a cobertura é irregular e possui cinco tipos diferentes de telha. O prefeito explicou que pretende estabelecer um padrão de construção para as escolas da zona rural do município e falou que autorizou ao departamento de Engenharia e Arquitetura da prefeitura fazer o projeto e adiantou que as reformas e reestruturações das unidades deverão começar ainda neste ano e que a Escola Brandina Tavares deverá ser a primeira da lista. "Queremos dar mais condições e segurança para os estudantes, professores e demais profissionais que trabalham nas unidades escolares", concluiu o prefeito.
Os moradores pediram também a regularização fundiária dos imóveis e a restauração de moradias que estão em situação precária; a iluminação da quadra de esportes que é usada para reuniões e festas e ainda a regularização dos serviços de limpeza urbana.
O prefeito garantiu atender as reivindicações dos moradores, ação que deverá começar com um mutirão de limpeza e reforço nos serviços de coleta de lixo doméstico já nas próximas semanas. "No ano passado quando assumimos a prefeitura nossa preocupação foi equipar o Posto de Saúde, adquirimos mesas e geladeiras para a unidade e hoje temos dois atendimentos por mês (médicos e dentistas), pois a meta da atual administração é garantir um atendimento mais humanizado à comunidade", garantiu Pedro Fernandes.

Galeria de Imagens

 

 Rua T-30, 1.310, esquina com rua T-49, Setor Bueno, Goiânia - Goiás


© 2018 - Jornal Diário do Norte
Produção