(62) 3626-6872
Home     Notícias
niquelândia

Muquém, a romaria da tradição

Festa religiosa completa 260 anos e reúne milhares de fiéis até o dia 15


Publicado em 10 Agosto 2008

Érica Ferreira-Niquelândia

|   Compartilhe esta página:    

Foto: érica ferreira
A procissão com a Santa foi realizada na última terça-feira (5)
A procissão com a Santa foi realizada na última terça-feira (5)

Começou a festa de Nossa Senhora da Abadia de Muquém, que acaba dia 16, contando com a presença de mais de 180 mil fiéis devotos à santa. No último dia 5 foi realizada a procissão da Romaria de Muquém, uma das maiores do mundo, quando os romeiros caminham 45 quilômetros, carregando a santa de Niquelândia até o Santuário do Muquém, como forma de pagar promessas e agradecer as graças recebidas. A festa católica é um verdadeiro vendaval de milagres, os devotos saem da Igreja Matriz de São José com a imagem da santa, às 16h30, depois participam de uma missa realizada ao ar livre na Paróquia Nossa Senhora da Abadia, às 17h, e depois seguem até o povoado, onde a multidão acampa no local e muda toda a rotina pacata do solo sagrado de Muquém.
A celebração religiosa é considerada a mais antiga de Goiás, foi em 1748 realizada sua primeira edição. A procissão que sai de Niquelândia às 18h, percorre a Rodovia da Fé durante toda a madrugada, com a presença de pessoas de todas as idades e cidades, sem distinção de raça ou classe social. Esse trajeto inclui a passagem dos fiéis pelas 15 estações da Via Sacra, que ficam às margens da rodovia, quando a procissão termina, começa a romaria, que conta com a Santa Missa, confissões, ofício de Nossa Senhora da Abadia, oração de Intercessão na Capela do Santíssimo (14 horas), missa pelos Enfermos, missa com Novena em Louvor à Nossa Senhora da Abadia e cerimônias de Batismo e Casamento.
De acordo com o pároco e reitor do santuário do Muquém, padre Aldemir Franzin, o novo santuário do Muquém, no morro Cruzeiro, há 100 metros do chão, foi inaugurado em 2004 e tem capacidade para 27 mil pessoas sentadas. Muitos romeiros sobem a escadaria do santuário de joelhos até o altar, pagando promessas, um momento de êxtase da fé e emoção sublime, que contagia qualquer um que assiste ao contemplamento religioso. O santuário é cercado por morros, córregos e diversidades naturais exóticas e belas, algo singular em que só se vê na capital do níquel.
Durante a missa celebrada no dia 5, na Paróquia de Nossa Senhora da Abadia, a presença de diversas autoridades marcaram a celebração, onde, além do ex-deputado federal Vilmar Rocha, estiveram presentes todos os candidatos à Prefeitura de Niquelândia que, em harmonia, saudaram uns aos outros com a "paz de cristo". O prefeito de Niquelândia, Ronan Batista, durante a missa desejou uma boa procissão a todos os fiéis e disse que acreditar em Deus é uma das melhores formas de alcançar os objetivos.
A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros não registraram nenhum acidente durante a procissão. Por sorte, pois a ganância pelo dinheiro fez com que os motoristas das vans, que carregam fiéis do Muquém até Niquelândia e vice-versa, trafegassem em alta velocidade, colocando em risco a integridade física dos romeiros.

Rick e Renner farão show
Neste ano o tema da festa é "Somos Todos Missionários em Maria". O reitor destacou que a festa, celebrada há 260 anos, é organizada pela igreja católica (um bispo, seis sacerdotes, equipe de organização e reitor). Ainda em 2008, a festa do Muquém conta com show da dupla Rick e Renner e de mais duas bandas católicas.
Além da religiosidade da festa, nesta época o Muquém se transforma numa terra de oportunidades de negócios comerciais e políticos, recebendo a presença de ilustres autoridades, como do governador, de senadores, autoridades judiciais, entre outros, que pisam no mesmo chão que a população, em uma terra que não tem muro, não tem cerca e o convívio social é igualitário. O ápice da festa é no dia 15 de agosto, o dia da padroeira, quando acontece a Festa da Assumpção de Nossa Senhora da Abadia.

Origem
De acordo com o reitor, a origem da romaria aconteceu no século XVIII durante o período da busca por minas de ouro. "Havia um quilombo dos escravos que trabalhavam com as minas e então aconteceu uma batalha de soldados, que queriam capturar os escravos do quilombo, pois os escravos incomodavam a população. O comandante então prometeu construir uma capela em honra do santo do dia (21 de dezembro - São Thomé) caso vencesse a missão e aí surgiu o povoado em torno da capela", contou.
O padre continuou: "Um português veio até o povoado procurar ouro e, acusado de não pagar o tributo do ouro à Coroa Portuguesa (o chamado quinto), foi julgado por juízes, que vieram de Portugal. O português acusado, então, fez um voto a Nossa Senhora, que se fosse liberto da acusação mandaria vir da Europa uma imagem de uma abadia e, como ele foi inocentado, cumpriu sua promessa, trazendo a imagem de Nossa Senhora, uma espécie de Abadia e aí começou a devoção".
O reitor declarou que a Romaria do Muquém já se tornou literatura no livro "Ermitão do Muquém", de Bernardo Guimarães.  Segundo o padre, os romeiros vêm de todos os lugares do País, a pé, a cavalo, de motocicleta, de jipes, de carros e da maneira que a criatividade e a fé permitirem.

Galeria de Imagens

 

(62) 3626-6872

 Rua T-30, 1.310, Setor Bueno, Goiânia - Goiás


© 2016 - Jornal Diário do Norte
Produção