(62) 3626-6872
Home     Notícias
NIQUELÂNDIA

Votorantim suspende atividades em Niquelândia

Informação foi dada através de nota oficial. Cerca de 800 trabalhadores perderão os seus empregos


Publicado em 18 Janeiro 2016

Euclides Oliveira

|   Compartilhe esta página:    

Divulgação
Mina da Votorantim Metais em Niquelândia
Mina da Votorantim Metais em Niquelândia

Em nota oficial enviada com exclusividade ao Jornal Diário do Norte às 18h15 desta segunda-feira (18), a Votorantim Metais confirmou a suspensão das operações de níquel das unidades de Niquelândia e de São Miguel Paulista (SP), até que sejam restabelecidas as condições de mercado necessárias para a viabilidade do negócio. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Extrativas de Niquelândia, Geraldo Lopes de Souza, cerca de 800 empregados diretos da Votorantim Metais serão demitidos, isso sem contar o grande número de vagas que serão fechadas nas empresas terceirizadas que empregam mão de obra na prestação de serviços à multinacional.

De acordo com o comunicado da multinacional, “trata-se de uma decisão difícil - mas necessária após expressivas quedas do preço do metal” que, somente em 2015, sofreu redução na ordem de 40% em seu preço. A empresa destacou que os preços globais do negócio níquel - regidos pela London Metal Exchange (LME) – impõe um cenário desafiador ao mercado de commodities metálicas com desequilíbrios econômico-financeiros nas operações globais do setor de mineração e metalurgia, em especial no segmento níquel, “cotado nos mais baixos patamares da história ao longo dos últimos anos”, também de acordo com a nota enviada ao DN.  A Votorantim Metais ainda afirmou que, apesar de a empresa ter estabelecido uma rigorosa gestão com foco na excelência operacional e otimização de custos, chegou-se ao consenso que as paralisações em Niquelândia e em SP eram necessárias porque a análise de diversos cenários não demonstrou viabilidade econômica do minério de níquel no curto e médio prazo.

 
CIDADE EM ESTADO DE CHOQUE

A informação da suspensão das atividades da Votorantim Metais em Niquelândia começou a ganhar corpo por volta das 15h30 desta segunda-feira (16), através das redes sociais. Horas antes, o gerente-geral da empresa na cidade, José Maximino Ferron, reuniu-se com os colaboradores da multinacional para uma reunião na planta no Acampamento Macedo em que detalhou o que realmente estava ocorrendo. Inclusive, um áudio de pouco mais de seis minutos – com a voz de José Maximino, supostamente gravada ao longo do encontro – circulou intensamente no WhatsApp com o prenúncio de que o pior realmente estava por vir: no próximo dia 1º de fevereiro, segundo a nota oficial da Votorantim,  serão suspensas as atividades de lavra (a extração do minério) em Niquelândia. Em 90 dias – a partir do dia 1º de maio – haverá a suspensão das atividades produtivas em Niquelândia (o beneficiamento) e em São Miguel Paulista (a refinaria). A empresa informou, ainda, que será mantida a infraestrutura necessária para a garantia da execução dos compromissos legais e socioambientais vigentes; e a continuidade, por tempo indeterminado, dos investimentos nos programas sociais de Niquelândia e São Miguel Paulista. Na entrevista exclusiva ao DN, o presidente do Sitien disse que a direção da Votorantim Metais reuniu-se com a diretoria da entidade às 13 horas desta segunda-feira (18) para oficializar a decisão da suspensão gradual das atividades e abrir o diálogo para tratar sobre as condições de desligamento dos colaboradores. De acordo com Geraldo, apenas 10% deles serão mantidos pela empresa.

“O impacto desse acontecimento, para Niquelândia, é péssimo e absurdamente negativo. Para muita gente, a ficha não caiu ainda. Para vocês terem uma ideia, haverá um efeito em cadeia: as oficinas vão demitir; os supermercados irão demitir; açougues; padarias; as manicures; enfim. Toda a cadeia produtiva será afetada. Porém, não foi uma decisão que nos pegou exatamente de surpresa. Estávamos, é verdade, era rezando e pedindo a Deus que isso (a demissão em massa) não ocorresse, ainda com a esperança de que passássemos por 2016. Porém, sabíamos muito bem como estava o valor do níquel no mercado internacional. No acordo coletivo de 2014/2015 (do Sitien com a Votorantim) fechou-se aquele período com a tonelada do níquel valendo 21.000 dólares (ou R$ 84.000,00 pela cotação de hoje, com US$ 1,00 valendo R$ 4,00). Hoje, a tonelada do níquel estava valendo apenas 8.100 dólares (R$ 32.400,00), valor muito inferior àquela crise de 2008. Não só o níquel, mas todas as commodities minerais estão passando por uma brutal crise internacional. O mal de tudo isso que está ocorrendo agora advém da China, que comprou muito minério, mas sua economia também desacelerou. Vamos ter, ainda, a primeira reunião de negociação com a empresa para tratar dos desligamentos. Mas, de início, deveremos solicitar a prorrogação do plano de saúde até o final do ano, por exemplo, para minimizar esse impacto; e uma série de outras solicitações. Estamos preocupados com os trabalhadores que contraíram financiamento à aquisição da casa própria; que investiram aqui em Niquelândia; e que, pelos exemplos que temos visto em outras localidades, onde também aconteceu isso, é tudo muito trágico”, comentou o presidente do Sitien.

VEJA O COMUNICADO DA VOTORANTIM METAIS

Comunicado à imprensa Votorantim Metais

O cenário desafiador do mercado de commodities metálicas tem promovido desequilíbrios econômico-financeiros nas operações globais do setor de mineração e metalurgia, em especial no segmento de negócios do níquel, cujos preços globais – regidos pela London Metal Exchange (LME) - têm se mantido nos patamares mais baixos da história ao longo dos últimos anos.

 Diante deste contexto, a Votorantim Metais decidiu suspender as operações de níquel das unidades de Niquelândia e São Miguel Paulista (SP), até que sejam restabelecidas as condições de mercado necessárias para a viabilidade do negócio. Trata-se de uma decisão difícil, mas necessária, após expressivas quedas do preço do metal. Só em 2015, foi uma redução na ordem de 40% nos preços do níquel.

A decisão foi tomada após exaustiva análise de diversos cenários, os quais – lamentavelmente – não demonstraram viabilidade econômica no curto e médio prazo, mesmo a Empresa tendo estabelecido uma rigorosa gestão com foco na excelência operacional e otimização de custos.

A Votorantim Metais irá adotar um regime gradual de suspensão das atividades e já iniciou diálogo com os Sindicatos dos Trabalhadores para tratar condições de desligamento.

Em 1º de fevereiro serão suspensas as atividades de mina em Niquelândia e, a partir de maio, as atividades produtivas de Niquelândia (beneficiamento) e São Miguel Paulista (refinaria). Será mantida infraestrutura necessária para a garantia da execução dos compromissos legais e socioambientais vigentes; bem como a continuidade por tempo indeterminado dos investimentos nos programas sociais de Niquelândia e São Miguel Paulista.

 A Empresa esclarece, ainda, que clientes e fornecedores terão suas necessidades e particularidades avaliadas caso a caso, mantendo o habitual diálogo de forma transparente e respeitoso.

A Votorantim Metais segue na expectativa da evolução das condições macroeconômicas e mercadológicas, associadas a uma expressiva melhoria do preço do metal, para a retomada do Negócio Níquel no longo prazo.

Galeria de Imagens

 

(62) 3626-6872

 Rua T-30, 1.310, esquina com rua T-49, Setor Bueno, Goiânia - Goiás


© 2017 - Jornal Diário do Norte
Produção