(62) 3626-6872
Home     Entrevistas
Entrevista - Ailton José Barretos

Trabalho para sair da crise

Prefeito Barretinho lamenta situação herdada da gestão anterior em Nova Crixás e promete solução


Publicado em 02 Abril 2017

Pedro Gomes e  João Carvalho

|   Compartilhe esta página:    

Divulgação
No último ano da gestão anterior, o calote com o Fundo de Previdência dos Servidores da prefeitura foi de R$ 2 milhões
No último ano da gestão anterior, o calote com o Fundo de Previdência dos Servidores da prefeitura foi de R$ 2 milhões

A vida do prefeito Ailton José Barretos (DEM), o Barretinho, da cidade de Nova Crixás, não tem sido nada fácil nesse início de gestão. Inúmeras são as dificuldades que ele enfrenta no dia para resgatar compromissos de campanha e fazer a máquina administrativa funcionar na prefeitura, que assumiu no dia 1º de janeiro. Apesar do apoio que tem da sociedade organizada e da Câmara Municipal, Barretinho tem que matar um leão por dia para colocar a casa em ordem. Ele herdou inúmeras dívidas, maquinário sucateado e muitos problemas para resolver. Com uma equipe enxuta e que trabalha, segundo ele, até '25 horas por dia', Barretinho aos poucos vai colocando em ordem as finanças do município, mas com muitas dificuldades já que não conta com algumas certidões, o que provoca perda de receitas. 

Diário do NorteO senhor tem afirmado que não tem condições de saber qual a situação do município em relação às dívidas porque a ex-prefeita não entregou documentos relativos à sua gestão. Isso está atrapalhando a gestão do senhor?
Barretinho – Essa situação dificulta e muito a nossa administração. Nós não tivemos aquele processo de transição. E no início do nosso trabalho a gente encontrou a prefeitura numa situação de abandono, com todas as máquinas sucateadas, incluindo caminhões, patrol, retro, ônibus escolares, veículos. Tudo isso estava sucateado, em cima de tocos. Temos quase R$ 2 milhões de dívidas da previdência dos servidores do município. Fatura de energia atrasada. Fatura de água sem pagar. INSS atrasado. Pasep atrasado. Tudo sem documentação. O pessoal da gestão anterior até hoje não entregou a documentação referente à gestão deles. Não temos os últimos balancetes. Não temos o último balanço geral. Estamos tomando as providências para resolver isso. Tudo isso é ruim porque vai dificultando as nossas ações. 

DN Desde quando o Fundo Previdenciário (NovPrev) está irregular?
Barretinho – Eles tinham o hábito, em todas as gestões deles, de ir empurrando as contas para parcelamento no final do ano. Em todas as gestões que eles realizaram aqui na prefeitura foi assim. O calote que deram na previdência municipal em todas as gestões deles é muito grande. No último ano (2016) o calote foi de quase R$ 2 milhões. Sem contar que isso se refere a parte patronal e a parte dos servidores. Dinheiro que foi descontado dos servidores e nós não sabemos para onde eles mandaram. A coisa ficou para a nossa gestão pagar. 

DN O senhor tem acesso às certidões negativas?
Barretinho – Até o momento o município não tem certidão. Nós negociamos essa dívida da NovPrev e agora estamos aguardando a certidão. Mas já sofremos outro embaraço que é devido ao não pagamento do Pasep. Com isso o repasse de verbas desse mês foi bloqueado, que foi em torno de R$ 1.050 milhão. E temos outras consequências. Eles nunca prestaram contas do Ciops. Tem outros recursos que serão bloqueados também por falta de informações que não foram prestadas. 

DN Diante de toda essa problemática, o que senhor pretende fazer para que o município não fique parado?
Barretinho – A situação é muito difícil nesse início de gestão. Temos contado com o esforço da nossa equipe, que tem o reconhecimento da sociedade, que está nos respaldando. E temos tomado algumas medidas de austeridade, como redução de gastos, aquisições com preços pesquisados e justos. Se não fosse isso não teríamos condições de sequer pagar a folha dos servidores. 

DN O município está em condições de receber emendas de deputados e recursos dos governos Estadual e Federal?
Barretinho – Somente estamos recebendo os repasses que não precisam de documentos, como certidões. Mas outros repasses vão depender de estarmos com os documentos nas mãos. Se não tiver organizado até lá, com certeza não vamos ter acesso aos recursos. 

DNOu seja, hoje o município não tem condições de receber um veículo ou um equipamento para ajudar na realização de obras?
Barretinho – Hoje não temos essa condição. O município hoje não tem condições de receber as verbas sobre as quais tem direito. E estamos precisando de realizar as obras, como asfalto nas ruas e avenidas. Precisamos recuperar o maquinário e outras ações que dependem de recursos. Mas até o momento estamos sofrendo restrições. 

DN O governador Marconi Perillo tem ajudado o senhor aqui em Nova Crixás?
Barretinho – Sou amigo do governador. Temos liberdade e espaço. Ele é um governador municipalista, democrático e republicano. E nós fazemos parte da base do senador Ronaldo Caiado. Fui eleito pelo DEM. Mas isso não é problema. Temos acesso livre aos deputados estaduais e federais que podem nos ajudar. Nova Crixás está bem servida de deputados que presta um grande serviço para a nossa população. E hoje tenho também apoio da sociedade organizada do município. E ainda conto com uma equipe que trabalha quase que 25 horas por dia para nos dar as condições de rompermos as dificuldades. Espero que em pouco tempo a gente supere as dificuldades e que a gente possa falar em metas. Também temos, de todas as instituições no nosso município, a solidariedade de todas elas, que têm nos apoiado e reconhecido as nossas dificuldades e os nossos esforços para superar as dificuldades. 

DN O senhor tem vários projetos e propostas para implantar seu plano de governo. Qual sentimento que fica para um prefeito que está pronto para trabalhar e sente ao mesmo tempo engessado pelas dificuldades deixadas pela gestão anterior?
Barretinho – A sensação ainda é de conquistas. Porque acho que nós já temos um grande salto com o afastamento dessas pessoas que há muito tempo estavam no poder desse município e destruindo a cada dia a nossa cidade, a nossa cultura e desrespeitando as pessoas. Enfim, foi uma administração em que se provou que trouxe o atraso para Nova Crixás. Ainda paira um sentimento de vitória e de conquistas. Mas a gente sente que está um pouco engessado. Isso porque a gente poderia estar avançando, superando metas e buscando algumas conquistas para a sociedade, a gente fica amarrado em situações que eles promoveram e com isso atrapalha bastante a nossa administração, que busca avanços para o nosso município. Temos aquela sensação de frustração. Mas estamos sentindo que estamos no caminho certo. Logo vamos superar essas dificuldades e daremos a Nova Crixás aquilo que tanto desejamos, que é emprego, educação, saúde e melhores condições para nossa infraestrutura. E sinto que estou preparado para superar os desafios. Eu nasci em períodos de crise no Brasil. Sou um sobrevivente da crise que o País viveu. Enquanto muitas pessoas estão reclamando muito, eu vejo nesse momento uma oportunidade. Temos agora a oportunidade de mostrar que a nossa cidade ainda tem jeito, apesar das dificuldades que eles (a gestão anterior) deixaram para nós. Eu com minha equipe e apoio da população, com certeza vamos tirar a cidade desses embaraços. 

DN O senhor tem apoio do seu vice-prefeito e da Câmara Municipal nesse momento?
Barretinho – A Câmara Municipal é formada por jovens vereadores que estão cheios de esperança. Eles, com certeza, desejam encontra um caminho melhor para Nova Crixás. A grande parceria entre prefeitos e vereadores foi proposta desde o início da nossa administração e vem sendo trabalhada. E com certeza será ampliada. E o sucesso dessa parceria trará bons frutos para Nova Crixás. E tenho com o presidente da Câmara Municipal, o vereador Dauro Luiz, um relacionamento amplo. Ele é bem conhecedor da situação da nossa cidade. Ele vem conduzindo os trabalhos na câmara com muita tranquilidade e com certeza a nossa parceria será de resultados. Sobre o vice-prefeito Batista do Ônibus, posso dizer que ele agregou valores à nossa candidatura e é uma pessoa da nossa sociedade e com muito trabalho prestado para nossa sociedade.

 Rua T-30, 1.310, esquina com rua T-49, Setor Bueno, Goiânia - Goiás


© 2018 - Jornal Diário do Norte
Produção