(62) 3626-6872
Home     Entrevistas

ENTREVISTA - Eronildo Valadares


Publicado em 10 Abril 2016

Pedro Gomes

|   Compartilhe esta página:    

Pedro Gomes
Primeira-dama Vanuza e o prefeito Eronildo Valadares: reeleição a vista
Primeira-dama Vanuza e o prefeito Eronildo Valadares: reeleição a vista

O prefeito Eronildo Valadares deve ser o nome do PMDB para disputar as eleições municipais em outubro deste ano. Ele falou com exclusividade ao Diário do Norte e afirmou que é pré-candidato à reeleição e que está otimista com o apoio do grupo.

Diário do Norte Em 2012 o senhor foi eleito depois de formar uma coligação forte, com muitos partidos e por isso a sua chapa foi composta também pelo maior número de candidatos a vereador. Como está a situação de grupo hoje?
Eronildo Valadares – As perdas em uma eleição são naturais, pois depois de vencer o processo nem sempre é possível agradar a todos. Muitas pessoas querem assumir cargos no governo e não podemos atender a todos. Eu considero a composição do governo a parte mais difícil em uma gestão. A responsabilidade do prefeito é grande e é preciso escolher as pessoas certas para os lugares certos. Nós temos uma equipe muito boa. Estamos corrigindo as poucas falhas que ainda existem e a cada dia estamos trabalhando para melhorar. No meu ponto de vista nós acertamos mais que erramos na atual gestão e todas as nossas ações estão disponíveis no "Site da Transparência" e eu faço questão que a comunidade acompanhe o nosso trabalho. Uma das medidas tomadas no início deste governo foi organizar o sistema que não funcionava, era muito falho em todos os sentidos e não havia controle de nada. Além de sermos honestos é preciso trabalhar com organização para que toda a equipe seja honesta. 

DN Qual seria, até o momento, a maior realização da gestão?
Eronildo – Nós poderíamos enumerar muitos pontos positivos, mas eu considero fundamental a reforma administrativa que nós implantamos, a organização e principalmente o pagamento do Piso Nacional dos Profissionais da Educação. Reformamos as escolas e as creches da cidade, fizemos a reforma do Hospital Municipal que passou por melhorias sem a necessidade de interdição temporária dos atendimentos, construção das Unidades Básicas de Saúde, reforma de alguns Postos de Saúde, unidades que foram transformadas em verdadeiros mini-hospitais, e com isso diminuímos a demanda do Ambulatório de Emergência, e hoje conseguimos melhorar consideravelmente a qualidade dos atendimentos, fato comprovado em pesquisas de opinião pública.

DN Quando o senhor assumiu a prefeitura foi divulgada pela sua equipe a existência de uma dívida na ordem de R$ 30 milhões relativa a administrações passadas. Este problema econômico inviabilizou a sua gestão?
Eronildo – Esta dívida nos impediu de realizar alguns projetos que estavam no nosso plano de governo. Nós estamos agora concluindo a Estação de Esgoto e provavelmente deveremos inaugurar a obra nos próximos dois meses. Quando assumimos o governo já existiam algumas redes de coleta de esgoto e nós estamos construindo mais, queremos garantir os serviços de esgotamento sanitário do município. Depois iremos investir no asfaltamento das ruas e com qualidade. Na época que assumimos o governo, devido à dívida que tínhamos, não conseguimos contrair empréstimos e nem os recursos necessários para fazermos a pavimentação. No entanto, se não tivéssemos quitado esta dívida estaríamos ainda inviabilizados. Ainda estamos pagando algumas contas. Com este dinheiro poderíamos asfaltar e recapear todas as ruas da cidade. Não é fácil, nós lutamos muito para colocar a casa em ordem e agora eu tenho mais conhecimento e sei onde podemos buscar recursos e obras para melhorar.

DN O senhor venceu com certa tranquilidade a eleição em 2012. Como espera que vai ser a próxima disputa para prefeito na cidade?
Eronildo – Na minha opinião toda eleição é difícil, não existe eleição fácil. Eu respeito todos aqueles que possivelmente venham ser nossos adversários, todos têm as suas qualidades e eu espero que as minhas qualidades também possam ser reconhecidas. O orgulho que temos é de poder dizer com muita humildade que enquanto o país passa por uma avalanche de problemas administrativos, um lamaçal de corrupção, na Prefeitura de Porangatu não temos casos de corrupção. Todos os recursos que entram nos cofres públicos voltam em benefícios para a comunidade. Somente o Fundo Municipal de Previdência Social deverá findar o ano com aproximadamente R$ 12 milhões em caixa.

DN – Seu vice-prefeito, Galeno Guimarães, é do PT, e o vereador do PT e presidente da Câmara Municipal, também é pré-candidato a prefeito, portanto um possível adversário. Na sua opinião, ainda existe alguma chance do PT manter a aliança de 2012?
Eronildo – Eu acho muito difícil. Em Goiânia e também em Brasília, em nível de Brasil, o PT e PMDB já romperam as alianças. Eu acredito que em Porangatu os partidos devem seguir a mesma tendência. Respeitamos muito o Galeno, é um bom vice-prefeito, respeito muito, mas o PT tem que decidir com quem é que ele vai querer andar. O José Uilton já rompeu com a nossa administração e eu respeito a posição dele. Agora nós esperamos que o vice-prefeito tome uma decisão.

DN O PMDB tem condições de compor uma coligação forte neste ano para disputar as eleições?
Eronildo – Com certeza, temos bons pré-candidatos a vereador, pessoas que estão envolvidas com a comunidade, formadores de opinião e que têm capacidade de representar e representar bem a população de Porangatu na Câmara Municipal.

DN Porque o senhor quer ser candidato novamente?
Eronildo – Na verdade eu sempre fui contra a reeleição. Mas nós procuramos outro nome que pudesse nos suceder, no entanto não foi possível. O grupo pediu a nossa permanência e, por isso, como a lei nos garante a chance de reeleição, decidimos aceitar o desafio.

DN – Como deve ser feito a escolha do vice?
Eronildo – Como sempre, este assunto deve ser decidido pelo grupo.

 Rua T-30, 1.310, esquina com rua T-49, Setor Bueno, Goiânia - Goiás


© 2018 - Jornal Diário do Norte
Produção